Scanner - The Judgement

Se você é fã de speed metal, heavy metal, power metal, seja lá como você queira chamar, provavelmente já ouviu o debut álbum "Hypertrace" desta banda alemã. o qual é um clássico do heavy metal oitentista, com os seus temas de ficção científica e grande musicalidade, que foi seguido por outro excelente álbum "Terminal Earth", que não chega a ser melhor que o primeiro, mas ainda é muito bom. Depois disso a banda lançou alguns bons álbuns, mas não mais com a mesma pegada dos dois primeiros, inclusive chegaram a lançar um álbum "Scantropolis" com vocais femininos.
Agora com um novo vocalista(desde 2002), o grego Efthiomas Ioannidas, que lembra muito o primeiro vocalista do Scanner(Michael “M.A.J.O.R.” Knoblich), a banda resgatou muito da sonoridade do debut, ou seja, excelente notícia em poder ouvir a verdadeira essência da banda.
Falando sobre as faixas, a banda já chega destruindo com a rápida "F.T.B."(Fuck the Bastards), onde nitidamente o velho estilo da banda está de volta. Riffs por todos os lados do seu estéreo podem ser ouvidos na "Nevermore". A banda parece incorporar Judas Priest na faixa "Warlord" nos vocais, mas o refrão ainda é totalmente Scanner dos velhos tempos.
O vocalista Efthiomas mostra a sua habilidade vocais na "Eutopia" e a banda aposta sai um pouco da ficção científica e fala sobre piratas na "Pirates".
O guitarrista Axel Julius mostra porque é o mastermind por de trás da banda na excelente "The Race" onde ele motra a sua grande habilidade como músico e compositor, aliás essa faixa é para quebrar pescoço.
Não posso dizer que esse álbum é melhor que o debut, mas chega bem perto sem dúvida, e recomendo para todo mundo que curte heavy metal.

Rating: 8,5/10

Band:

Efthimios Ioannidis - vocals
Axel A.J. Julius - guitars
Andreas Zeidler - guitars
William Chapman - bass
Hanno Kerstan - drums
*All drums by Franz Eichberger

Contact:
http://www.scanner4u.de/
https://www.facebook.com/Scanner.Heavy.Metal.Band


Hungryheart - Dirty Italian Job

Após dois álbuns "Hungryheart" e "One Ticket to Paradise" que fizeram desta banda italiana umas das mais agradáveis surpresas do melodic rock/AOR dos últimos tempos, a banda acaba de lançar o seu terceiro álbum.
As expectativas são bem altas depois de dois excelentes álbuns, e posso dizer que a banda não decepcionou nenhum pouco, pelo contrário, eles estão evoluindo na qualidade das composições, produção, etc.
As pegajosas e melódicas "There Is A Reason For Everything", "Shoreline"(lembrando um pouco do Tyketto) e "Rock Steady", essa bem mais hard rock. Temos também momentos mais AOR, como na "Back To The Real Life", um pouco de influência de blues na "Second Hand Love" e o cover do Eric Clapton de 89 "Bad Love" que ficou próxima a original.
Com um álbum com tantas boas influências e o amadurecimento depois de dois álbuns, esse terceiro cd só veio para confirmar que essa banda não está para brincadeira e representa muito o espírito do melodic rock dos anos 80 e 90.
Vale mencionar que o tecladista já bem conhecido neste meio Alessandro Del Vecchio tocou em algumas faixas aqui, e temos um novo baixista na banda Stefano Scola.

Rating: 9/10

Band:
Josh Zighetti: lead & backing vocals
Mario Percudani: guitars, backing vocals; lead vocals (tracks 04, 07)
Stefano Scola: bass
Paolo Botteschi: drums

Additional musicians:
Paolo Apollo Negri: keyboards (tracks 02, 07, 10)
Alessandro Del Vecchio: keyboards (tracks 01, 04, 06, 08)
Giulio Garghentini: backing vocals (track 08)

Contact:
https://www.facebook.com/hungryheartband
http://www.tanzanmusic.com/

Bonfire - Glorious

Como um fã de longa data desta banda alemã é difícil para mim saber que o vocalista Claus Lessmann não está mais na banda, a voz dele era marca registrada no som da banda, especialmente nos álbuns clássicos "Fireworks" e "Point Black". Inclusive foi regravado dois clássicos da banda "Sweet Obsession" e "American Nights" com o novo vocalista David Reece(Bangalore Choir, ex- Accept, também faz parte agora da outra banda do guitarrista Hans Ziller, o Easy Livin', etc), essas faixas são clássicas, e sinceramente não vejo sentido em regravá-las, elas soam legais, mas não tiram a magia das versões originais como as melhores.
Com esse comentário você pode pensar que este álbum é ruim, não de jeito nenhum, provavelmente o melhor álbum que a banda gravou nas últimas duas décadas ou mais, não é o som clássico dos primeiros álbuns, mas as músicas contidas fazem saltar nos ouvidos.
A performance de David Reece é fenomenal neste álbum puramente hard rock, que em alguns momentos me fez lembrar do Bangalore Choir.
Ouça as faixas "21 Guns Salute (Goes Boom)", um hardão dos bons, a veloz "Nothin' at All", o refrão para cantar junto da "Can't Break Away", a bela melódica "Remember" onde a voz de Reece brilha demais ou a balada "Fallin' Outta Love". Há também o cover "With a Little Help from My Friends" dos The Beatles, todo mundo conhece a versão original, ficou interessante na voz de Reece.
Na verdade eu poderia destacar outras faixas aqui, mas prefiro que você faça um favor a si mesmo e compre este álbum, sim compre o álbum! Apoie a verdadeira música e não use meios ilegais de conseguir álbuns, esse merece estar na coleção de qualquer um que tenha bom gosto musical.

Rating: 8,5/10

Band:
Hans Ziller - Lead Guitar, Backing Vocals
David Reece - Lead Vocals
Harry Reischmann - Drums
Ronnie Parkes - Bass, Backing Vocals
Frank Pane - Guitars, Backing Vocals

Contact:
http://www.bonfire.de/
https://www.facebook.com/BONFIREofficial
https://www.facebook.com/Borila-ReKords-176610492479492/

Vitne - Endless Blue

Depois de escrever sobre o álbum do Vitne "Neon" algum tempo atrás, agora é a hora de conferir este novo EP "Endless Blue".
Li algo interessante que o próprio Vitne disse sobre este EP: Este mini-álbum é muito mais influenciado pelo meu amor de rock japonês como GACKT e X-Japan, bem como o meu álbum favorito de sempre. Há influência de trilha sonora de game de RPG  (Digo seriamente, quem não curte a trilha sonora de Final Fantasy X?). Eu entendo que cada lançamento de um artista é algo novo (a menos que você é Nickelback). Ouça e deixe-o crescer, e, em seguida, ouça de novo ".
Temos mais um vez a participação de Julian Angel neste álbum, deste vez tocando solos de guitarra, isso pode ser comprovado na excelente e energética faixa título "Endless Blue", essa faixa é bem na linha glam rock.
Ok agora você me pergunta onde estão as influências japonesas e de RPG? Ouçam as faixas "Himitsu, Village Of The Sea", onde Vitne mostra toda a melodia, ele também toca flauta e isso é demonstrado aqui também, uma faixa tranquila bem na linha Folk. A outra faixa é a "Serenity", essa instrumental apenas, lembrando trilha sonora de games como Chrono Cross, o próprio Vitne disse que a inspiração para essa música.
Outro destaque fica para "Misery" que marca a volta para o lado mais rock n' roll, mais acessível que a primeira, mas com grande melodia.
Vitne provou mais uma vez que tem talento e merece ser ouvido por quem tem bom ouvido para a música.

Rating: 8/10

Contact:
http://www.vitne.net/
https://www.facebook.com/VITNEOfficial

Baton Rougue Morgue - s/t

Lembro-me quando ouvi essa banda pela primeira vez, foi em um vídeo que encontrei no YouTube da música "Hat Trick"(que você pode conferir no final deste review) e tinha gostado muito do que ouvi, e agora tenho a oportunidade de conferir este álbum.
Eu posso dizer que esta banda vinda da Finlândia é realmente boa, este álbum viaja entre o hard rock e o heavy metal. Apesar do som em alguns momentos lembrar algumas bandas mais famosas, como o W.A.S.P. ou mesmo Iron Maiden, o som deles até que consegue soar mais particular, talvez isso aconteça pelo fato deste álbum ser uma compilação de músicas que a banda gravou nos últimos 10 anos, inclusive a uma faixa demo para um cover do Slayer "Tormentor".
Destaques do álbum ficam com as energéticas "Ride to Die", a pesada "Finger on the Trigger", a citada "Hat Trick" que é mais comercial, mas ainda uma boa música, e a última "Vultures", que começa como uma balada e se transforma em uma faixa praticamente heavy metal.
Tenho que destacar a produção, muito boa por sinal, soando bem natural e não polida ao extremo.
Vale a pena conferir o som destes finlandeses, especialmente se você curte um som mais cru, com coros interessantes.

Rating: 8/10

Band:
Lee Angel Morgue - vocals
Domino De La Rogue - guitars
Joona Bjorkroth - guitars
Timothy Baton - bass
Danger Ranger - drums

Contato:

http://batonroguemorgue.com/
https://www.facebook.com/pages/Baton-Rogue-Morgue-Official/164530639058



Robby Valentine - Bizarro World

Robby Valentine sempre foi um dos meus músicos favoritos, talentoso, multi instrumentista e excelente cantor. Um artista nato, que com o passar dos anos se mostrou ser um músico único, com o seu próprio estilo, sempre lançando álbuns muito bons em sua carreira, e olha que discos não faltam em sua discografia, já são 10 álbuns lançados e todos sem falhar na qualidade.
Em 2014 tem sido um ano bem agitado para Robby Valentine, pois ele esteve bem ocupado com o seu álbum tributo ao Queen, com a banda Aniday e a agora este novo álbum "Bizarro World" de inéditas após 7 anos sem lançar um novo álbum, o último "Falling Down in Misanthropolis" foi lançado em 2007. Além disso, este novo álbum foi lançado de forma independente, diferente dos outros, desta vez nada de gravadoras envolvidas.
Todo álbum de Robby Valentine é marcado com muito piano, teclados, harmonias, guitarras, e produção cristalina, e neste novo álbum não é diferente, temos as características que sempre fizeram parte de suas composições, melodias em doses diabéticas, vocais e harmonias que lembram o Queen, piano clássico, etc.
Após um linda introdução ao piano clássico, temos a faixa título "Bizarro World" que é energética, com muitas harmonias e pian, sem dúvida um grande destaque.
A próxima "Rockstar" uma faixa com riffs mais metal, mas com um toque de modernidade, como ele fez em seu álbum anterior.
Temos umas faixas mais pop em "You're tearing me down" que apesar da acessibilidade, tem um melodia incrível e muito agradável de se ouvir, e temos a  la "cabaret" em "Deadbeat Boy" que não chegar a se destacar, mas é divertida, digamos assim.
Temos um hard rock em "Schizophonicated" com riffs legais e grandes harmonias. Claro, temos uma linda balada "Close the door", que começa lenta e explode em um refrão excelente, uma das minhas favoritas.
Uma das candidatas a hit é sem dúvida a "Black Rain" que música linda! Tudo é perfeito aqui, guitarras, vocais, simplesmente uma canção para se tornar clássica em uma apresentação ao vivo.
O álbum termina como ele começou, com um excelente piano na "The Mistake", uma balada bem emotiva.
Sem dúvida o álbum do ano para mim, se você não conhece o Robby Valentine, o que você está esperando? Robby tocou todos os instrumentos aqui, e isso já mostra todo o talento deste músico incrível.

Rating: 9/10

Band:
Robby Valentine - vocals, all instruments

Valentine Live:
Robby Valentine - vocals.piano, guitar
Paul Coenradie - guitar
Luuk Van Gerven - bass
Andre Borgman - drums

Contact:
http://www.robbyvalentine.nl/
www.facebook.com/robbyvalentine

Gamma Ray - Empire of the Undead

Está aqui o novo álbum de uma das melhores bandas vindas da Alemanha, o qual quase não foi lançado devido ao trágico incêndio ocorrido no estúdio que eles estavam gravando este álbum, fazendo que a banda perdesse muitos equipamentos, e felizmente o álbum foi salvo.
Depois de álbuns mais "felizes" como "Land of the Free II" e "Majestic", Kai Hansen e cia. estão de volta com um álbum de heavy metal puro, mais dark, lembrando a fase do álbum "To the Metal" e mostrando todo talento de Hansen e seus companheiros.
A faixa que dá inicio a este álbum é "Avalon", excelente do começo ao fim, uma faixa épica que nos traz aquele aura de Iron Maiden e um refrão que consegue empolgar qualquer metalhead.
As totalmente metálicas "Hellbent" e "Empire of the Dead" entram no hall das melhores sem dúvida, ouça os riffs de guitarra e bateria da segunda e sinta o heavy metal oitentista correndo em suas veias.
A cadenciada "Pale Rider" é outro destaque, essa te fará ser um headbanger feliz e com pescoço dolorido.
O último destaque vai para "Demonseed" que é mais uma pedrada, e vale ainda citar a faixa bônus japonês "Someday", nunca imaginei Kai Hansen compondo uma faixa como essa, moderna, uma ideia totalmente insana de Kai Hansen, mas que fico bem legal, só ouvindo para acreditar o quanto diferente ela é do estilo da banda.
Sem dúvida uma grande volta as raízes mais heavy metal da banda, que figura entre as melhores bandas de todos os tempos juntamente com Helloween, inclusive soando mais metal que o Helloween em muitos momentos.

Rating: 9/10

Band:
Kai Hansen - guitars, vocals
Henjo Richter - guitars
Dirk Schlächter - bass
Michael Ehré - drums

Contact:
http://www.gammaray.org/
https://www.facebook.com/gammarayofficial?rf=210952538914934

Metal on Ice - Various Artists

Esta compilação trata-se de regravações de bandas canadenses bem conhecidas dos anos 70 e 80. A mente por de trás deste projeto está o talentoso guitarrista Sean Kelly que tem sua própria banda Crash Kelly e já participou de composições na banda Helix.
Para quase todas as composições temos os vocalistas originais, com exceção da faixa "On the Road to Rock" da banda Kick Axe, que conta com o vocalista Nicky Walsh(Slik Toxik).
Temos versões muito boas aqui, como a "Heavy Metal Love" do Helix, "Metal Queen" com a grande Lee Aaron, a já citada "On the Road to Rock" do Kick Axe, a matadora "Hey Operator" do Coney Hatch, a clássica banda com vocais femininos Headpins em "Don't It Make Ya Feel", a fudida "Keep the Spirit Alive" da banda Killer Dwarf.
Temos um música inédita especialmente composta para este álbum com a participação de todos os vocalistas envolvidos neste projeto,  Brian Vollmer (Helix), Carl Dixon (Coney Hatch), Darby Mills (Headpins), Lee Aaron, Nick Walsh (Slik Toxik) e Russ Dwarf (Killer Dwarfs), trata-se da música que dá nome a essa compilação "Metal on Ice", que captura toda a sonoridade deste álbum.
Um cd com grande sentimento e que nos trás grandes lembranças, recomendado!

Rating: 8,5/10

Musicians:
Brian Vollmer - vocals (1,7)
Lee Aaron - vocals (2,7)
Nick Walsh - vocals (3,7), bass (7) and background vocals
Carl Dixon - vocals (4,7), keyboards and background vocals
Darby Mills - vocals (5,7) and background vocals
Russ Dwarf - vocals (6)
Sean Kelly - guitar and background vocals
Daryl Gray - bass (1,2,4,5,6)
Victor Langen - bass (3) and background vocals
Dave Langguth - drums
Evan Wilds - keyboards and background vocals
Stephan Di Mambro - background vocals
Tyrone Buccione - background vocals
Julie Gibb - background vocals
Stephan Di Mambro - background vocals
Ray Harvey - background vocals
Aaron Murray - background vocals
Josette Beernaerts - background vocals
Jim DeLeskie - background vocals

Contact:
http://www.metalonice.com/ 
https://www.facebook.com/MetalOnIce

Scythia - ...of Conquest

Este álbum é o terceiro trabalho desta banda Canadense que toca um excelente heavy metal com elementos do folk e progressivo, resultando em algo parecido com bandas como Turisas, Finntroll, Alestorm, Blind Guardian.
A primeira faixa "Fanfare 1516" traz riffs e teclados que nos faz viajar para a época dos piratas, enquanto vemos o infinito horizonte no mar. Seguida pela mais pesada "Merchant Of Sin".
Chegou a hora da minha favorita do álbum, a "Bear Claw Tavern" é simplesmente sensacional, assim como é mostrado no vídeo clipe, você é transportado para alguma taberna, enquanto se vê bebendo e saciando sua fome, essa música é diversão total, uma faixa veloz, teclados épicos e refrão que gruda no seu cérebro.
Temos a mais progressiva "Reflections" que é outro destaque, essa conta com vocais da baterista Celine Derval em algumas partes, com lindos teclados de Jeff Black.
Outro destaque fica com a "Rise Of The Kraken" que conta com um refrão poderoso que funcionaria muito bem ao vivo. Assim como os vocais mais agressivos de apoio do baixista Savage que fez toda diferença na "Into The Storm".
Outra que está entre as melhores é bombástica "Army Of The Bear". Temos a longa e épica "Path Through the Labyrinth", e para encerrar outra faixa com riffs cativantes em "Departure" que encerra o álbum.
De um modo geral, eu curto muito este álbum, e com certeza tentarei conferir os dois primeiros álbuns, espero que vocês façam o mesmo, vale a pena.

Rating: 8/10

Band:
Dave Khan – Guitars / Vocals
Terry Savage – Bass / Harsh Vocals
Jeff Black – Keyboards / Backing Vocals
Celine Derval – Drums / Backing Vocals

Contact:
http://www.scythia.ca/
https://www.facebook.com/scythiametal

China - We are the Stars

O China é uma banda que impressionou muito em seus 2 primeiros álbuns, onde a banda executava um excelente hard rock oitentista, sem dúvidas clássicos do estilo. A partir do terceiro álbum a banda mudou o seu direcionamento, decepcionando um pouco, e após uma longa pausa a banda é reformulada em 2007 e em 2010 solta um novo álbum "Light in the Dark" que soou moderno e muito diferente do que a banda fazia no passado. Agora temos um novo álbum "We are the Stars" e chegou a hora de verificar se algo mudou.
O álbum tem um excelente inicio com a energética e melódica "Crazy Like You", uma faixa bem contagiante e muito diferente do último álbum da banda, assim como a seguinte "That's A Lot Of Love" que mostra que a banda ainda sabe fazer um bom hard rock.
Mas claro, a banda não é a mesmo do inicio da carreira e temos faixas mais modernas aqui, mas felizmente elas são bem cativantes, melodiosas e contam com grandes refrões, como é o caso da "Everywhere You Are" que lembra um pouco Bon Jovi depois do New Jersey e que possui um video clipe que você confere no final do review.
Temos a totalmente comercial "Uninvited" que não chega a empolgar, mas também não decepciona, é apenas uma boa faixa que poderia ser tocada em rádios.
Depois da fraca "Circles In The Sky", temos rock and roll de volta na "Kisses On Fire" e "Inside Out".
Este novo álbum é superior ao último álbum, o China não soa como nos seus primeiros cds, mas pelo menos neste as músicas estão mais melódicas e agradáveis de se ouvir.

Rating: 7,5/10

Band:
Eric St. Michaels - Vocals
Claudio Matteo - Guitar/Backings
Mack Schildknecht - Guitar
Dan Grossenbacher - Bass/Backings
Billy La Pietra - Drums

Contact:
www.chinamusic.ch
https://www.facebook.com/Rockband.China

Black Diamonds - Perfect Sin

No ano passado tivemos muito bons lançamentos de hard rock/glam rock, e tudo indica que este ano teremos mais bandas com qualidade, como esta banda vinda da Suiça que acaba de soltar o seu segundo álbum "Perfect Sin".
Depois de uma pequena introdução, temos a energética, cheia de riffs de guitarra "Judgement Day", e aqui já podemos ver que apesar de ser um cd independente a produção é de primeira.
Temos a mais comercial, mas ainda muito boa "I'll Be OK" ou uma na linha Crashdiet "Hell Boys".
Como não podia faltar temos as inevitáveis baladas "Hold On" e "A Thousand Roses", eu diria que elas são apenas razoáveis.
A música para a sua festa no final de semana está em "We Want To Party", excelente e a melhor faixa do álbum.
Se está banda continuar com o bom trabalho e até evoluir em certos aspectos, essa banda tem tudo para ser compara com outros nomes do gênero, como Crazy Lixx, Crashdiet, Steel Phanter , etc.

Rating: 8/10

Band:
Mich - lead vocals/guitars
Andi - guitars
Bernie - bass
Manu - drums

Contact:
http://black-diamonds.ch/index.php?setlang=en&page=1
https://www.facebook.com/BlackDiamondsRock



Julian Angel's Beautiful Beast - Kick Down The Barricades

Novo álbum do Beautiful Beast de Julian Angel, um cara que está dando o que falar com os seus projetos musicais, sempre mostrando talento e música legais para nossos ouvidos, basta ouvir os dois primeiros álbuns "Adult Oriented Candy" e "California Suntan" e neste novo trabalho intitulado "Kick Down the Barricades" não é diferente, provavelmente o seu próximo álbum na sua lista de compras de hard rock.
O Glam metal mostra a sua força com "Bad Boys Never Dance", enquanto que algumas semelhanças com a banda The Sweet em "Big Stuff", especialmente no refrão.
Este álbum Angel mostrou novamente a sua capacidade de criar músicas que ficam gravadas no nosso cérebro de tão cativantes que são, ouça o refrão da "Can't Stand The Fiction" e me fale se estou errado.
Angel parece encarnar Joe Elliott e Def Leppard na fantástica balada "The Night Cries For You", inclusive os vocais de Angel são bem na linha de Joe Elliot, uma das minhas músicas favoritas neste álbum.
Tenho que destacar também a faixa "High On Love" que me lembrou a banda Reckless Love e um pouco de Mad Margritt.
Enfim um álbum indispensável para qualquer coleção de hard rock/glam rock, espero que Angel alcance voos mais altos com este álbum, pois ele merece reconhecimento.

Rating: 9,5/10

Band:

Julian Angel - vocals and guitar
Frank McDouglas - bass and backing vocals
Ramy Ali (Evidence One, Big Apple, LaValle)- drums, percussion and backing vocals

Midnite Sky - Blood, Sweat and a Little More

Novo álbum desta banda de melodic hard rock vinda de Sttugart, Alemanha. Esta banda foi formada em 1993 quando ainda se chamava Zardoz, mas esses detalhes foi pode conferir no review do primeiro álbum aqui na "On the Road Webzine", vamos conferir este novo trabalho.
Na minha opinião este álbum já é um clássico do hard rock, pois todas as canções presentes aqui empolgam, sejam as mais hard rock ou mais melódicas, todas soam memoráveis.
Começando com a pesada "Hellfire", seguida da melódica "Feels Like Heaven", esta lembrando algo entre Jaded Heart e Bonfire.
Claro, os destaques não param por aqui, ouça a "Where Are The Angels" onde a banda mostra novamente seu lado mais pesado e cadenciado. Eu posso ouvir semelhanças com o Bon Jovi antigo, ou mesmo com a banda Trixter na excelente "All I Ever Want", uma das melhores do álbum.
Se você curte a banda Evidence One, a faixa "Sex Bomb Love Machine" é para você. E para encerrar temos uma na linha Glam rock em "Rock With Me Tonite", excelente, especialmente se você curte bandas como Crazy Lixx.
Resumindo tudo isso, esta banda é excelente e merecer ser conferida, é o tipo de álbum que você ouve com o sorriso até as orelhas. Melodia, peso na medida certa, vocais e guitarras fazem deste álbum um item obrigatório para quem tem bom gosto musical.

Rating: 10/10

Band:
Holger Blickle - Vocals
Stefan Kreutz - Guitars, Vocals
Frank Hafner - Bass, Vocals
Markus Schübel - Drums, Vocals

Contact:
http://www.midnitesky.de/
https://www.facebook.com/midnitesky.de

Oz Knozz - 10,000 days & nights

Essa banda de Houston, Texas é uma banda de AOR/prog rock já antiga, sua formação foi por volta de 69, seu primeiro álbum foi lançado no meio dos anos 70 e somente recentemente o seu segundo álbum "10,000 days & nights" foi lançado. Felizmente estou tendo a oportunidade de conhecê-los agora, pois o som deles é excelente, uma combinação de bandas como Kansas, Journey, Styx, Humble Pie, Survivor, etc.
Aqui a musicalidade é soberba, com canções fortes e talento de todos os membros da banda, basta ouvir os destaques como a "Hear What I'm Saying" onde a banda mostra uma grande habilidade em compor boas melodias e instrumental bem trabalhado. Em "You Can't Win" você pode ouvir um pouco de Styx com Survivor, o excelente trabalho de guitarras em "Midnight Mambo" e "Who's the Hero" que mostra até certo peso nas guitarras.
Uma banda que cada membro se conhece muito bem na hora de tocarem juntos, fazendo deste trabalho algo apreciável para pessoas com bom gosto musical.

Rating: 8/10

Band:
Milton Coronado - vocals
Robert Guinea - guitars
Duane Massey - keyboards/backing vocals
Bill Massey - bass
Marty Naul - drums

Contact:
http://www.ozknozz.com/
https://www.facebook.com/ozknozz?ref=ts

Julian Angel's Beautiful Beast - California Suntan

Aqui está o segundo álbum do Beautiful Beast do amigo e grande músico Julian Angel, que é um dos caras mais legais e talentosos com quem conversei esses tempos com algumas boas risadas no facebook. Agora é hora de conferir o som deste talentoso músico novamente.
Se você curte toda festa do glam metal dos anos 80, este álbum é para você, basta ouvir a primeira faixa "Wet Wild Willing" e conferir a empolgação e energia emitida nesta música, totalmente cativante e viciante.
Neste álbum pude ouvir várias similaridades com a banda Ratt, inclusive em alguns vocais, basta ouvir as faixas "Dance Little Sister" e "Rockschool".
Impossível não destacar as melódicas e ao mesmo tempo energéticas "You Better Love Me", tente ouvir o refrão e não sair cantando junto, a maravilhosa "Addiction To the Friction", novamente com um excelente refrão e trabalho de guitarras de Julian Angel.
Claro que temos algumas baladas, como a "Fair Weather Friend" que segue uma linha White Lion e a power balada que emociona "Something In the Air".
Para encerrar temos a excelente "Gimme Just One Night" que segue uma linha mais AOR e é um clássico já na primeira audição.
Este álbum já é um clássico do estilo e merece ser reconhecido pelo público que gosta de boa musica, corra atrás da sua cópia, pois álbuns tão bons assim aparecem de vez em quando, e com todo talento de Julian Angel, não há do que duvidar. Obrigado Julian Angel por esta verdadeira diversão aos nossos ouvidos.

Rating: 9/10

Band:
Julian Angel - vocals, guitar, piano and keyboards
Jesse Curse - drums and percussion

Additional Musicians:
Rock Hart - backing vocals

Contact:
http://www.beautifulbeastrock.com/
http://www.facebook.com/beautifulbeastrock

Down & Dirty - Down to the Wire

Este é o terceiro álbum desta banda de hard rock americana, o primeiro eu cheguei a fazer o review aqui, mas o segundo infelizmente não tive a oportunidade de ouvir devido a falta de tempo na época, mas vamos checar este novo trabalho.
Lembro-me bem do debut o qual soava bem na linha sleazy e neste novo álbum a banda pouco mudou, continuam com o mesmo som, única coisa que mudou foi que o vocalista Stevie Ray Del Real deixou de utilizar o seu apelido Majyk.
A primeira faixa "Alive Tonight" fica entre uma das melhores já de cara com aquele estilo sleazy dos primeiros álbuns do Motley Crue.
Em "Everythings Shakin" temos algumas mudanças de andamento com passagens interessantes, enquanto em "Devil Inside" conta com um refrão e rimas muito bem executados.
Outro destaque vai para as mais rockers do álbum em "Get Lucky" e a empolgante "Man Of The Times".
Gostei do cover do Elvis Presley "Trouble", ficou bem interessante essa versão mais moderna e pesada.
Se você curtiu os trabalhos anteriores do Down & Dirty tem tudo para curtir este novo trabalho, quem ainda não conhece, agora é a oportunidade.

Rating: 8/10

Band:
Stevie Ray Del Real - vocals
LA - guitar
Ryan Tyler - bass
Joey DeJohns - drums

Contact:
https://www.facebook.com/downndirtychicago

Humbucker - King of the World

Novo álbum dos noruegueses Humbucker intitulado "King of the World", sucessor do debut "R.O.C.K.S" o qual foi resenhado aqui e que me deu prazer de ouvir, vamos agora conferir este novo álbum.
Novamente podemos ouvir aqui aquele som com guitarras cruas, vocais rasgados, tudo o que podemos esperar de uma banda influenciada por AC/DC, Kiss, Whitesnake, Scorpions, etc.
Ouvindo a primeira faixa "Self Made Son of a B***h", é uma faixa que você consegue imaginar Lemmy do Motorhead cantando, uma faixa totalmente rock n' roll, crua, diretamente na sua face.
A próxima "One Size Fits All" tem um sonoridade mais hard rock, mas com um aproximação ao rock n' roll de raiz.
A faixa titulo "King of the World" está bem na linha hard rock, com um refrão e backing vocals na linha Kiss, um das melhores do álbum sem dúvida. Temos uma mais na linha sleazy em "Gone Fishing", mostrando a rispidez do estilo da banda.
Provavelmente a minha música favorita do álbum é a "Hey You!" essa totalmente anos 80, com um riff que te convida a agitar e balançar a cabeça.
Temos um um cover do Whitesnake, a "Wine, Women an' Song", o qual parece que a banda incorporou o AC/DC ao executar esse cover, não soando bluesy como a versão original, ficou interessante.
Excelente segundo álbum desta banda que conseguiu manter o ritmo do primeiro álbum, eu diria que até melhor, mas ambos são grandes álbuns para apreciadores de um hard rock puro e direto.

Rating: 9/10

Band:
Jan Anders "Longbeard" Bøen - Lead vocals
Lars Stian "Too Late" Havraas - Bass
John Petter "No Thanks" Pershaug - Guitars
Geir Arne "The Cannon" Dale - Drums
Vidar "Maniac" Svanheld - Guitars

Contact:
http://www.humbucker-rocks.com/
https://www.facebook.com/pages/Humbucker/194616527226293

Midnite Sky - Rock the Planet

Faz alguns anos que procuro este álbum para ouvi-lo e escrever sobre ele, pois tinha ouvido algumas músicas e lembro de ter curtido o som desta banda vinda de Stuttgart(Alemanha). Essa banda já tem um histórico de 15 anos de existência, e este é o seu álbum debut, a banda já tem um novo álbum que saiu no final do ano passado, que logo vocês poderão conferir nesta página.
Um pena eu não ter ouvido antes este incrível álbum, excelente do começo ao fim, com influências e certas semelhanças com bandas como Axxis, Bonfire, Crystal Ball, Bai Bang, Jaded Heart, etc. Mas ainda com pitadas de personalidade própria.
Os vocais de Holger Blickle ficam em meio termo entre os vocalistas Bernhard Weiß(Axxis) e o Mark Sweeney ex vocalista do Crystal Ball.
A faixa "Web of Desire" é o primeiro destaque, com uma melodia que me fez lembrar dos primeiros álbuns do Bonfire.
Temos a pesada e ao mesmo melódica "Hard as a Rock", e ainda a emotiva e uma das minhas favoritas em "Summer in my Heart", aquela típica faixa de melodic rock com uma agradável melodia e refrão cativante para deixar qualquer pessoa com mal humor de bem com a vida.
Os integrantes desta banda já fizeram parte de uma banda chamada Zardoz, e aqui podemos conferir a nova versão de uma música desta banda na "Running Through the Night", sem duvida uma das melhores, senão a melhor do álbum, lembrando muito o Gotthard, refrão com melodia impossível de esquecer.
Tenho que destacar o guitarrista Stefan Kreutz que realmente fez um grande trabalho aqui, com riffs e solos brilhantes. Isso pode ser conferido no último destaque "Call my Name" com hamornias vocais que deixaram-na com um tempero especial.
Um álbum que merece ser destacado e espero que mais pessoas possam conhecer o material desta banda, sem dúvida eles agitarão o seu planeta.

Rating: 8/10

Band:
Holger Blickle - Vocals
Stefan Kreutz - Guitar
Frank Hafner - Bass
Christoph Renner - Guitar
Markus Schubel - Drums

Contact:
http://www.midnitesky.de/
www.facebook.com/midnitesky.de

Station - Wired

Geralmente quando ouço bandas novas de melodic rock elas vem da Europa, especialmente Suécia e Itália nos dias atuais, mas para minha surpresa essa banda Station vem dos Estados Unidos, precisamente Nova Iorque.
Eu achei esse EP simplesmente incrível, infelizmente é apenas um EP, você ouve e fica com aquela vontade de ouvir mais e mais. Excelentes composições, produção(produzido por Michael Wagener).
Aqui você vai ouvir tudo aquilo que fez o estilo famoso nos anos 80, o vocalista Patrick Keamey é muito bom, com uma vóz melódica, agradável e com um grande alcance, o guitarrista Cris Lane técnico e eficiente.
Nas 4 musicas presentes neste álbum, imagine uma mistura de Van Halen(ouça a faixa "Don't Take Heaven Away From Me"), TNT(a excelente e totalmente pegajosa "Everything"), Extreme(devido a balada acústica "I'd Understand"), Lillian Axe(a faixa "True Believer" me lembrou muito eles, apesar da banda possuir uma faixa com o mesmo nome, são músicas bem diferentes), e você terá um ideia da sonoridade deste álbum.
Aguardo muito ansioso por um álbum completo desta nova promessa do hard rock, e que a banda dê saltos largos, pois merece muito se destacar e receber um reconhecimento.

Rating: 9/10

Band:
Patrick Keamey - vocals
Chris Lane - guitar
Mike Anderson - bass
Brain Karl - drums

Contact:
http://www.stationband.com/
https://www.facebook.com/StationNYC

Armory - Empyrean Realms

A banda americana de power metal Armory está de volta com o seu segundo álbum, que apesar de seguir o estilo power metal, a banda não soa enjoativa como muitas do estilo que ouvimos nos últimos anos, para nossa felicidade eles contam com um vocalista muito bom na linha Bruce Dickinson, o que é um ótimo sinal.
Claro, não podemos dizer que ao ouvir este álbum você não encontrará similaridades com outras bandas do estilo, como Edguy, Helloween ou Rhapsody.
Logo de cara podemos conferir o power metal da banda com a veloz "Eternal Mind", temos aqui todos os clichês do estilo, passagens de bateria rápida, vocais melódicos, essa faixa me lembrou Edguy.
Curti muito o som do baixo neste álbum, ainda mais neste estilo de música que muitas vezes nem conseguimos ouvir o baixo. Podemos ouvir principalmente na excelente "Beyond The Horizon", essa me lembrou bandas como Pagan's Mind.
O último destaque vai para a "Fate Seeker", com passagens com guitarras pesadas e baixo pulsante e ainda com alguns elementos de progressivo, essa é a minha faixa favorita do álbum.
Este álbum sem dúvidas é melhor que o debut e merece ser conferido pelos fãs de power metal.

Rating: 8/10

Band:
Adam Kurland – Vocals
Joe Kurland – Guitars, Drums
Chad Fisher – Guitars
Thomas Preziosi – Bass
Peter Rutcho – Keyboards

Contact:
http://www.armorymetal.com/
http://www.facebook.com/armorymetal
http://www.metavaniamusic.com/